Como observar uma liquidação de criptos

O equivalente a bilhões de dólares parecia ter sido vaporizado quando, depois de um crescimento massivo para além de 60 mil dólares, a alta do Bitcoin reverteu e entrou em queda livre antes de se estabilizar novamente. Quão raros são essas oscilações de preços e o que elas nos dizem sobre o futuro da mãe das criptomoedas?



Um bungee jump para o Bitcoin


Embora muitas pessoas tenham observado a recente queda maciça no valor do #Bitcoin e de outras criptomoedas e do incidente em 2018, é importante lembrar que este não foi o único mergulho pelo qual o Bitcoin passou em seus anos de “vida”. Em três ocasiões (aproximadamente a cada quatro anos) a criptomoeda mais famosa experimentou oscilações de pico a vale de 75% ou mais. O mercado de ações americano exibiu tal queda apenas uma vez durante todo o século passado, após o pico de 1929, coincidindo com o início da Grande Depressão. Porém as ações (no geral), não ostentaram taxas de crescimento anual como o Bitcoin durante os últimos 12 anos, ou em qualquer período de 12 anos durante o século passado. Em 14/06/2021, o drawdown máximo do Bitcoin era de aproximadamente 36%.

Embora a queda recente seja expressiva em termos financeiros (ainda mais quando observado frente ao câmbio Dólar/Real), historicamente não é estarrecedora em termos percentuais. O que podemos evidenciar é que o Bitcoin (e demais #criptomoedas) não apenas mostrou um perfil de retorno alto, mas o fez com níveis muito mais altos de risco e perdas temporárias substanciais, mais uma vez entregando a mensagem “não há almoço grátis”. Quase sempre há uma forte relação entre risco e recompensa. Qualquer investimento com potencial para um #desempenho fenomenal está quase fadado a exibir níveis de risco assustadores.

Pelo prisma de potenciais quedas de cotação, quando observamos gráficos de rebaixamento, estes são gráficos pessimistas no sentido de que se concentram apenas no lado negativo. Mostram quedas de preços versus picos anteriores e contam a história da frequência e magnitude das correções de preços. Somado à isso, levantam e respondem à pergunta, “o que teria acontecido na pior das hipóteses, se um #investidor comprasse no pico absoluto e vendesse no vale absoluto?”. Raramente tais exposições focam em observar e quiçá comentar que tal queda de cotação (de pico à vale) pode ser um grande oportunidade de realocação de carteira, ou pura e simplesmente uma bela promoção, para compra de um ativo (exemplo genérico) descontado.


Por que o Bitcoin é tão volátil?


A política de moeda do Bitcoin é predefinida e muito clara.

O crescimento da oferta de novas unidades de moeda através de mineração é sempre positivo e pequeno, diminuindo gradativamente ao longo do tempo, até chegar a zero. A perspectiva da oferta realmente não tem um forte impacto sobre a volatilidade do Bitcoin. Basicamente é impulsionado pelo viés da demanda da equação e, como o Bitcoin não está vinculado a nenhum #valor do mundo real, a demanda é quase inteiramente o resultado do sentimento de esperança do mercado. O sentimento do mercado, por sua vez, é o resultado da visão em que os participantes do mercado depositam mais fé. Portanto, não é de se admirar que declarações de importantes reguladores ou mesmo tweets de pessoas famosas, como Elon Musk, possam ter implicações enormes na cotação do Bitcoin e, portanto, tornar a #criptomoeda extremamente volátil.


“A volatilidade exibida pelo Bitcoin destaca seu fracasso como reserva de valor.”


Em 2017, entrou em voga a máxima de “O #blockchain pode mudar todas as facetas de como as empresas operam. Precisamos comprar criptografia agora!” e, como resultado, o Bitcoin teve sua cotação catapultada por 20. Quando a história mudou para "Onde estão todos os casos de uso revolucionários prometidos, talvez o blockchain não seja o futuro", o preço caiu de cerca de 20 mil dólares para cerca de 3,5 mil dólares. Avance no tempo e a grito de guerra se transformou em “Os bancos centrais estão desequilibrados. Eles estão imprimindo dinheiro em um esforço de alívio do coronavírus. Precisamos nos proteger com o Bitcoin para nos proteger da inflação”, e uma pujante valorização dos preços se apresenta novamente. As preocupações muito recentes sobre a #China proibindo criptomoedas como forma de pagamento e argumentos sobre o impacto ambiental balançaram o pêndulo de percepção de volta a um ponto negativo da escala. Como resultado, o Bitcoin pulou do prédio.

Embora o sentimento de amanhã, mesmo com bola de cristal, seja quase impossível de prever, é provável que o Bitcoin reaja fortemente e, por conseguinte, faça com que a #volatilidade de ações de mercados emergentes pareça paralítica em comparação.


O que alta volatilidade significa do ponto de vista da classe de ativos?

A volatilidade exibida pelo Bitcoin destaca seu fracasso como de reserva de valor. Poucos aderem a um método de pagamento para transações do dia-a-dia com variações de valor tão amplas quanto o Bitcoin, pelo fato que estabilidade de preços é um dos pilares mais importantes para uma moeda e o Bitcoin nunca foi capaz de alcançá-la em seus mais de 12 anos. Futuramente será capaz? Não sabemos. Não há evidências fortes que apontem para maior grau de estabilidade de preços no futuro.

Porém, níveis elevados de volatilidade não precisam ser necessariamente algo ruim ao abordar o assunto sob a perspectiva de investimento. #Traders de curto prazo tendem a ser atraídos por instrumentos com alta volatilidade. Investidores de longo prazo podem ser atraídos por uma classe de ativos que ainda não entrou totalmente no mainstream da gestão de investimentos, tem uma configuração estrutural que é completamente diferente dos instrumentos tradicionais, como ações e fundos imobiliários, de agronegócio e títulos, e que até agora teve um desempenho muito bom, mesmo depois ajustando para os níveis elevados de volatilidade. Cabe destacar que alta volatilidade no mercado de #criptos pode ser visto como o preço a pagar pelo aprendizado, dando oportunidade de capturar potenciais de longo prazo e, mais importante, evitando perder o impacto potencial em outros ativos em seu portfólio. O objetivo deste artigo não é propor nenhuma recomendação de compra ou venda de ativos ou valores mobiliários, porém é importante que o #investidor passe a refletir sobre como equilibrar esses ativos dentro do seu portfolio de investimentos, caso sejam adequados ao seu perfil e seus objetivos.


Disclaimer:

Nenhuma informação contida nesse artigo é recomendação de compra ou venda de ativos ou valores mobiliários. Algumas das informações contidas neste ponto de vista são baseadas em declarações ou informações prospectivas, incluindo descrições de mudanças de mercado previstas e expectativas de atividades futuras. O assessor acredita que tais declarações e informações são baseadas em estimativas e suposições razoáveis. No entanto, as declarações e informações prospectivas são inerentemente incertas e os eventos ou resultados reais podem diferir materialmente daqueles refletidos nas declarações prospectivas. Portanto, não se deve confiar indevidamente em tais declarações e informações prospectivas. Esta apresentação não é e não constitui nenhuma uma recomendação de venda ou de compra de qualquer título ou valor mobiliário. O desempenho passado não é necessariamente indicativo de desempenho futuro; os retornos futuros não são garantidos. Não há garantia de que o assessor fará quaisquer investimentos com as mesmas características ou características semelhantes ao investimento apresentado.