A inflação está corroendo seu dinheiro?

A inflação é importante – e está corroendo seu dinheiro e investimentos pois eles não têm rendimento real, nas principais moedas da economia mundial. Assim, seu valor real é diariamente diminuído pela inflação. Então, como você pode proteger sua riqueza contra tal força?




O custo de manter o dinheiro

Qual seria uma abordagem prática e responsável para a questão da inflação? Os investidores com excesso de caixa podem considerar a construção de exposição a soluções de investimento com uma contribuição de desempenho positiva, levando em consideração seu horizonte de investimento individual e apetite geral de risco.


Todos os anos, pessoas em todo o mundo gastam tempo – e muitas vezes dinheiro – preparando e declarando seus impostos. No entanto, há outro “imposto” não oficial e silencioso, que às vezes também é chamado de “imposto inflacionário”. O economista Milton Friedman disse uma vez que “inflação é tributação sem legislação”.


De fato, a inflação ao longo do tempo reduz a quantidade de bens e serviços que se pode adquirir com uma mesma quantidade de dinheiro. Com o tempo, a inflação pode ter um impacto verdadeiramente muito grande. Por exemplo, nos Estados Unidos, bens e serviços que custassem um dólar no ano de 1975 custariam cerca de cinco dólares hoje. No caso de um euro hipotético (pois não estava em circulação em 1975), a depreciação é ainda mais extrema, enquanto o franco suíço (CHF) também perdeu valor, mas em menor grau.


Embora a inflação esteja agora nas conversas de muitos investidores – e há aqueles que alertam que a inflação está saindo do controle – nossos economistas acreditam que, após um pico pós-pandemia, ela se estabilizará novamente. No entanto, analistas esperam uma inflação média de 3,6% nos EUA e 2,7% na zona do euro este ano.


Tais números mostram o verdadeiro custo de manter dinheiro que atualmente não está rendendo nada nas principais moedas, já que os bancos centrais mantêm suas taxas de juros em níveis baixíssimos (diferente do Brasil, onde as taxas estão bastante altas, porém o ritmo inflacionário também esteja nas alturas, de maneira que a segunda acaba anulando os resultados da primeira).



No entanto, as análises observadas são baseadas nos números oficiais de inflação divulgados. Na realidade, cada pessoa tem sua própria taxa de inflação pessoal, com base em onde mora, no tipo de produtos e serviços que compra e até mesmo em seus interesses.


Por exemplo, a inflação nos Estados Unidos, medida pelo índice oficial de preços ao consumidor, aumentou 3% a.a. em média desde 1982, mas tem sido perto de 5% para os “ricos” nos Estados Unidos. Assim, o caixa não rendendo nada no ambiente atual é um desafio.


O que devo considerar quando manter excesso de dinheiro (líquido)?

Objetivo: As razões para manter excesso de caixa podem ser transacionais (necessidades de liquidez de curto prazo), de precaução (baixa tolerância ao risco das opções de investimento disponíveis) ou especulativas (aguardando um momento melhor)? Ou você simplesmente não tem tempo para observar novos investimentos?


Liquidez para dias nebulosos: Se o excesso de caixa é mantido para situações de emergência que podem surgir amanhã ou apenas em alguns anos, por que você não está considerando alternativas de caixa de alta liquidez?


Renda: A geração de fluxo de caixa da sua carteira (dividendos e proventos) atende às suas necessidades agora e no futuro?


Sua próxima geração: A conta está suficientemente investida para que a próxima geração possa colher o aumento de longo prazo nos mercados?


Qual é o momento certo para começar a investir?

Ponderando essa situação “complicada”, os investidores ricos em dinheiro podem se perguntar se agora é realmente um bom momento para investir, com muitos (porém nem todos) mercados negociando em torno de seus máximos de todos os tempos.


No entanto, analistas técnicos destacam repetidamente que novas altas nos mercados tendem a ser seguidas por novas subidas. Assim, o ditado “o que sobe, deve descer” não é necessariamente a maneira de pensar sobre mercados financeiros e investimentos, mesmo que pareça atraente e possa fazer sentido sob uma observação rasa.


Pelo contrário, vem à mente o ditado de que “o tempo no mercado é melhor do que o tempo do mercado”, o que significa que os investidores muitas vezes perdem grande parte da ascensão de longo prazo do mercado enquanto esperam por níveis de preços mais baixos para investir – uma abordagem que dificilmente compensa.


Estratégia antes de investir

Isso não significa que todo o excesso de caixa deva ser investido de uma só vez, mas sim que os investidores devem ter uma estratégia deliberada para colocar o excesso de caixa para trabalhar proporcionalmente à sua expectativa de retorno e tolerância ao risco. Isso pode ser visto como parte de uma estratégia geral de planejamento patrimonial para preservar e aumentar a riqueza ao longo do tempo.